Quem reciclar mais irá pagar menos pela recolha de lixo

A Câmara de Condeixa anunciou que se prepara para implementar, no próximo ano, um novo sistema tarifário que beneficia quem recicla mais e produz menos resíduos indiferenciados para aterro.

A autarquia divulgou ontem, em comunicado, ter finalizado o projecto piloto europeu Life Payt, aprovado pela Comissão Europeia e designado “Payt – Ferramenta para Reduzir Resíduos no Sul da Europa”. A sessão final de monitorização do projecto, do qual o município de Condeixa faz parte, decorreu anteontem, sendo «realizada a visita guiada ao projecto de cada um dos municípios parceiros, nomeadamente Lisboa, Aveiro e Condeixa, além de Larnaka, no Chipre, e Vrilissia, na Grécia», e seguindo-se hoje o workshop final do projecto, na Universidade de Aveiro, e amanhã a sessão de auditoria financeira.

«Este é o caminho a seguir face às tão ambiciosas e exigentes mudanças que se perspectivam para os municípios em tão curto espaço de tempo. Por isso, neste momento, estamos a desenvolver as diligências técnicas necessárias à implementação efectiva do sistema e da nova factura Payt de modo que em Condeixa se pague apenas pelos resíduos que não são reciclados, incentivando à separação e à redução de resíduos indiferenciados, promovendo desta forma uma economia circular», explica Nuno Moita, presidente da Câmara de Condeixa.

Segundo a autarquia, através daquele projecto pretende-se «demonstrar que é possível implementar um novo modelo de gestão de resíduos, assente no princípio do poluidor pagador, um sistema “Pay-As-You-Throw” em que cada um paga em função dos resíduos indiferenciados que deita fora». «Com base na identificação do contentor e no volume dos resíduos recolhidos, o sistema deve ser capaz de reduzir a quantidade de resíduos indiferenciados produzidos ao incentivar, através de mecanismos financeiros, a separação na origem e o aumento da quantidade dos resíduos de embalagem enviados para reciclagem», acrescenta.

Para Nuno Moita, «é fundamental mudar o actual paradigma dos sistemas de gestão de resíduos urbanos com tarifação assente no consumo de água», considerando «as metas nacionais existentes de redução da deposição de resíduos em aterro e a transformação a que actualmente se assiste neste sector dos resíduos».

Citado no comunicado, o edil destaca ainda que «o projecto piloto Life Payt assumiu um importante papel ao iniciar em Condeixa a inversão desta tendência para um modelo baseado em princípios de sustentabilidade ambiental». Com este projecto, adianta, «os produtores de resíduos do sector não doméstico que aderirem ao sistema Payt poderão passar a pagar o serviço de resíduos de acordo com a quantidade de resíduos que produzem, ficando, portanto, subjacente que quem mais poluir, mais paga».

O município assegura que, ainda que o projecto Life Payt termine no final deste ano, o sistema Payt «vai efectivamente começar em Condeixa durante o ano de 2022».

Leave a Reply

%d bloggers like this: