Falta uma adesão geral ao projecto de recolha de lixo

Fonte: Diário de Aveiro Diário de Aveiro – Página 03 – 17 de setembro de 2020

Falta uma adesão geral ao projecto de recolha de lixo

A Câmara instalou na Forca a segunda versão dos contentores de lixo que abrem com cartão, mas ainda há sacos no chão ou sobre a tampa.

O sucesso da aplicação em Aveiro do projecto europeu “LIFEPAYT” – que contabiliza o lixo depositado pelos moradores da Froca-Vouga nos contentores electrónicos e pretende promover a separação do plástico, vidro, metal e papel – já não depende do equipamento porque, agora, a tampa é “mais robusta”, tem uma abertura “mais larga” e um tambor “simples com menos possibilidade de avaria”, mas falta a adesão geral das pessoas ao novo sistema.

 

Numa primeira fase de testes em 2018, foram identificados problemas mecânicos com o tipo de contentor instalado mas, desde a passada terça-feira que no bairro “apenas existem contentores “PAYT”, na sua segunda versão (embora sejam visíveis outros), cuja abertura é apenas possível com um cartão.

Percorrendo o bairro

No dia seguinte ao arranque da segunda fase, ontem, o Diário de Aveiro percorreu as ruas do bairro, notando-se várias falhas, sendo a mais notória a existência de sacos de lixo fora dos contentores. Por isso, parte do lixo que os moradores produzem em casa não segue para o contentor, ficando sobre a tampa ou no chão.

Ontem, alguns contentores não abriam a tampa e pelo menos um encontrava-se com a zona da leitura do cartão queimada. Verificam-se ainda sinais de a abertura da tampa ter sido forçada, ou seja, tentativas de abrir sem uso do cartão. Também será preciso evitar, como foi denunciado por moradores da zona, que residentes de outros locais depositem o lixo no bairro onde não habitam, fora dos contentores.

A Câmara de Aveiro refere-se a um projeto-piloto, agora na segunda fase com 26 contentores, “obviamente com carácter experimental e sujeito a falhas, como tem acontecido noutros projetos desenvolvidos por municípios portugueses e de outros países europeus”.

Os moradores do bairro onde este projeto se encontra em execução apontam para a necessidade de um esforço maior em convencer os moradores a usarem o sistema, segundo as regras.

A autarquia aveirense diz que “existem desafios europeus na área dos resíduos urbanos e biorresíduos que iremos ter de cumprir a médio e longo prazo, enquanto sociedade, e que, certamente, só iremos conseguir com um espírito crítico de cooperação e de responsabilidade social, sabendo que alguns deles integram a mudança de hábitos, práticas e comportamentos dos cidadãos que exigem tempo, determinação e projectos-piloto”.

O objectivo é a redução de produção de resíduos, reutilização e recolha selectiva, encorajando a novas práticas.

“Maioria dos moradores já tem cartão”

Segundo a autarquia transmitiu ontem ao Diário de Aveiro, “a maioria” dos moradores do bairro já possui cartão, sendo que os que ainda não o têm podem contactar a Câmara articulando com os serviços o levantamento.

Entre 31 de Agosto e 5 de Setembro esteve aberto um “ECOQUIOSQUE” para levantamento de uma segunda via do cartão para os que o tivessem perdido ou esquecido a senha de acesso à plataforma e entre 31 de Agosto e a passada segunda-feira era possível solicitar estes elementos por “e-mail” ou telefone.

Leave a Reply

%d bloggers like this: